Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

large.jpg

Por vezes, fazer uma curta viagem pelo passado é benéfico para arrumar algumas ideias e chegar às devidas conclusões. Aprendemos imenso com os erros do passado e fazemos de tudo para não os repetir no presente/futuro. Estou prestes a fazer 22 anos...e penso que a lição mais importante que aprendi foi que nunca devemos de tomar nada como garantido. Viver e aproveitar o presente, ser feliz, não ligar à opinião daquelas pessoas que apenas nos querem mal. Apesar de, legalmente, passarmos a ser adultos aos 18 anos, apenas agora é que estou a sentir-me uma jovem adulta a cem por cento. Os três anos de licenciatura fizeram-me perceber que por mais adversidades que a vida nos pode dar, por mais desiludida que tenha ficado com aqueles que considerava ser a minha segunda família e por mais que tenha ido abaixo com as mais variadas situações...a verdade é que sem todos estes obstáculos eu não seria quem sou hoje, nem estaria tão feliz e realizada como me sinto actualmente. Eu cresci e em vez de tentar desesperadamente costurar as feridas que me fizeram, apenas deixei o tempo ser o médico da minha alma. Por isso, obrigada por me terem feito passar uma fase negra, porque fizeram-me perceber que eu merecia melhor e que sou uma lutadora. Se não tivesse acontecido aquela batalha, não estaria tão unida com a minha família e verdadeiros amigos, nem tão encantada e envolvida com um certo par de olhos azuis, com aquele que sei que será o amigo e namorado perfeito para mim e que me aceita como sou: alma de eterna criança num corpo e mente de jovem adulta.Obrigada por me terem dado o meu presente e futuro. Os rancores e mágoas já não existem, já não existe nada...são apenas pedaços de papel, velhas fotografias esquecidas numa gaveta e memórias distantes.

4 comentários

Comentar post