Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

large.jpg

 

Tudo, mas mesmo tudo na vida é passageiro. Aliás, a nossa estadia na vida é, por assim dizer, curta e - infelizmente - passa num abrir e fechar de olhos. Na minha terra - na qual a maioria das pessoas possuem pensamentos retrógrados e ideologias/objectivos de vida que passam por acabar o ensino, namorar e casar, ter uma casa própria, emprego, filhos e um cão ou dois (ao estilo "sonho americano"), sinto-me cada vez mais deslocada e inspirada a mudar de ares. Cada vez mais me convenço que a vida são meia dúzia de anos e que os sonhos são para ser cumpridos na plenitude. Sim, eu namoro e estou a meio do meu mestrado e sim, um dos meus maiores sonhos é ser mãe e ter alguém a quem possa realmente chamar meu por direito, mas a casa própria é algo que me dá uma certa confusão. Para cumprir a grande maioria dos sonhos, é necessário ter dinheiro, dinheiro esse que as pessoas gastam em comprar casas que, com o passar dos anos, vão ficando velhas e desactualizadas, mas às quais as pessoas ficam presas a um eterno compromisso de fazerem reformas para esta manter-se funcional. E estas reformas custam dinheiro, muito. Dinheiro que poderia ser gasto numa viagem paradisíaca, numa experiência repleta de adrenalina, numa ida a um restaurante ou até mesmo para tirar novos cursos e obter mais formação, mas não...a casa está em primeiro lugar e em vez de enriquecer a curta vida e aproveita-la ao máximo, nunca saem da terrinha e ficam sempre presos aos ideais que conhecem e que acreditam ser verdadeiros (por não conhecerem outros). Sendo assim, no futuro eu vou-me manter agarrada à ideia que prefiro alugar um espaço funcional para viver, no qual o senhorio é que tem a responsabilidade de manter funcional e agradável para a minha vivência e segurança. Se um dia quiser mudar de ares, pego nas minhas trouxas e mudo-me para outro espaço alugado - simples. Prefiro mil vezes sair da toca e aproveitar para conhecer o Mundo e viver os meus sonhos com a pessoa que amo do que estar enfurnada no sofá, a ver novelas e reality shows e a invejar a vida das pessoas que são cultas,que possuem um passaporte repleto de experiências e que são livres, simplesmente.

10 comentários

Comentar post