Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Toda a gente que me conhece verdadeiramente sabe que eu aprecio imenso a minha liberdade. O meu espaço, as minhas regras, as minhas decisões, a minha maneira de ser...gosto de ser respeitada, assim como respeito os que merecem. Eu tenho o pleno conhecimento que ser livre não implica fazer o que bem me apetece - até porque sou sustentada, em parte, pelos meus pais e acima de tudo devo-lhes respeito e amor - mas sim saber dizer não nos momentos certos e para as oportunidades que me parecem erradas. Eu escolho o que sei que me vai fazer bem, consoante os meus ideais e não o que alguém me impõe ou implora. Pedir é uma coisa, mas com uma resposta negativa do meu lado, detesto e irrita-me a imploração para que mude de ideias. A sério, a implorar só vão conseguir que eu me irrite mais e mais até eu explodir e passar a ignorar, simplesmente. Eu considero que a teimosia é uma violação enorme ao meu espaço pessoal e eu repugno isso. Também, como amante fervorosa do motim de ser livre, acabo por ser um bocadinho mais fria. Consigo "mergulhar" numa relação amorosa com toda a dedicação, mas gosto que me respeitem a minha liberdade e vontade, bem como saber que um "não" para mim não é um "talvez" (sem ofensa, mas nos dias de hoje vejo pessoas a mudar de ideias como quem muda de camisola). Eu sei que num namoro existem certos aspectos que se deve de abdicar em prol de um bom funcionamento de pares, mas a mim, à custa do passado, dar um espaço fixo a uma pessoa na minha vida e nos meus sentimentos é algo que me custa. Eu luto contra isto, todos os dias, mas existem momentos em que fico irritada com qualquer coisa e só me apetece explodir. A culpa é minha: sou centrada em mim e no meu bem-estar e apesar de gostar muito de alguém e de me preocupar com essa pessoa, falta sempre qualquer coisa. Talvez apaixonar-me mesmo a sério e até amar alguém? Eu amei, uma vez, isso quase foi a minha destruição. Eu gosto muito, mas muito da minha vida como ela está agora (e das pessoas que nela existem), mas ao mesmo tempo sinto-me meia sufocada por todo o Mundo. É tudo a "exigir" algo de mim, a pedir-me tempo, a pedir sentimentos e eu sem saber se sou capaz de dar o que me pedem. Dizem que cedemos um bocadinho de nós quando realmente sentimos, mas eu gosto tanto da pessoa com quem eu estou...mas sinto cada vez que não sou capaz de retribuir, de ser sentimental: e isto assusta-me daqui até ao inferno, porque eu não quero magoar ninguém, especialmente eu, mas ainda mais especialmente quem me trata como uma princesa, mesmo que esta esteja tão quebrada.

7 comentários

Comentar post