Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."


Todos temos o direito - dever até - de lutar por aquilo que realmente queremos. Acho que este é o meu actual problema: medo de lutar, pois muitas vezes este está relacionado com o sofrer. Com o medo de batalhar surge o medo de amar por inteiro. Eu não consigo sentir se não luto por mim própria, em primeiro lugar. Começo a aperceber-me que no último ano a minha garra e ferocidade deu lugar a uma menina tímida que se acomoda ao que outros lhe dão. Acomodar-se a algo é confortável, porque nunca  saímos verdadeiramente da nossa  zona de conforto e segurança. Mas qual é a piada nisso tudo? Outrora, uma pessoa que me desafiava era o que eu mais gostava, porque prefiro conquistar e não ter as coisas em bandeja de ouro. Hoje não sinto a mesma adrenalina de viver, porque é tudo demasiado pacato e irrita-me esta calmaria. Eu parei de viver, basicamente, tudo porque me foram fechando portas ao longo da vida e eu acostumei-me a ficar fraca. Estes dias mais solitários, por mais amargurados que sejam, trouxeram-me imensa clareza à mente e pedaços de mim que eu pensava ter perdido. Aos poucos, vou-me sentindo mais orgulhosa do meu sorriso, pois este têm sido mais verdadeiro. Mudar implica crescer. Deixar de ser dependente dos sentimentos dos outros também ajuda. Eu quero ter os meus próprios sentimentos, sentir novamente que sou filha do Mundo e que a minha liberdade surge no sentido de precisar de ir à guerra pelas motivações certas e não pelo que os outros consideram ser certo ou estável para mim. Sei que muitas vezes não vou sair vitoriosa destes conflitos internos, mas vou-me orgulhar de não ser cobarde! Estereótipos da sociedade mesquinha em que nos encontramos não são para mim...quero voltar a ser uma guerreira e conquistar o MEU mundo.

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2