Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."



Com o aproximar de um novo ano, tenho pensado muito no que me aconteceu este ano, a nível amoroso. Passei de não correspondida a uma relação fracassada, de querer alguém ao meu lado para optar por ficar sozinha e construir uma relação amorosa comigo própria. Sofri, fiz sofrer e admito que foi um ano deveras doloroso, a muitos níveis. Agora, finalmente, encontro-me num bom ponto de equilíbrio, com as feridas cicatrizadas e com um sorriso que aquece a alma. Aprendi que, acima de qualquer coisa, devo de ter estima própria, devo de gostar do meu corpo e da minha essência e devo deixar as máscaras na gaveta e simplesmente ser eu. Dou por mim a desejar que em 2014 vá encontrar um HOMEM que respeite quem eu sou e que me queira na vida dele por um longo período de tempo, talvez por uma vida inteira. Estou cansada de jogos, de lidar com rapazitos que não possuem a capacidade de lidar com a minha notória essência e ferocidade. Está na hora e eu mereço ter um relacionamento directo, sem o maldito talvez no meio. Alguém que respeite o meu espaço e liberdade, que tenha vida própria para além de mim e da nossa relação. Um voluntário fixo para me trazer o café à cama de manhã, que me beije o pescoço com a barba por fazer, que ao ser beijado por mim no final tenha aquele sorriso ternurento na cara. Desejo fidelidade e respeito. Um homem que goste das minhas surpresas, que goste que eu tenha conhecimento sobre os assuntos que lhe interessa. Não quero amuos por não saber ouvir uma critica construtiva, que saiba que eu vou estar sempre do lado dele e que não precisa de me esconder nada, incluindo os erros. Acima de tudo honestidade, prefiro sempre uma sinceridade que magoa a mentiras que podem destruir tudo. Em 2014 não quero um príncipe encantado, alguém perfeito ou praticamente surreal...no ano novo eu quero alguém que tenha a noção que é um ser humano, nem melhor nem pior do que os outros e que saiba dar valor ao que recebe, que preste atenção e que ame loucamente, de forma espontânea.

8 comentários

Comentar post