Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

"- Atrasada, como sempre."

Os óculos escuros escondiam um olhar esverdeado aborrecido. Por mais que amasse aquela menina, detestava esperar por ela. Saber que por detrás daquelas altas paredes escondia-se o corpo moreno que tanto desejava dedilhar...era como pura combustão para o seu raciocínio. Não podia esquecer-se que prometera ao pai dela honrá-la e protegê-la...tinha tantas mulheres desejosas de lhe dar prazer carnal, mas nenhuma conseguia preencher a sua alma como a menina que agora fechava o portão, de forma tranquila, e atravessava a estrada com dificuldade, devido ao mau pavimento e aos sapatos altos. O cheiro do perfume que lhe oferecera logo invadiu-lhe as narinas, mas nada era tão bom como sentir os lábios escarlates a pressionar os seus. Era nestes momentos que se sentia um sortudo por ter o amor daquela menina-mulher. Ambos entraram no carro, encaminhando-se para o restaurante favorito de ambos. Ele estranhou a indumentária dela: gabardine fechada, maquilhagem mais adulta, unhas vermelhas e a ausência do habitual laço no cabelo e padrões coloridos...mas deixou para lá. Ela estava bonita, como sempre. Ao passar a recepção do restaurante, ela pede-lhe para ele ir entrando, porque precisava de fazer uma chamada e foi o que ele fez. Um minuto, dois e três passaram e a aflição normal começou a incomodar-lhe o pensamento lógico. Quando se decidiu a levantar, teve a surpresa da vida dele. A menina-mulher, dos vestidos florais e infantis, tinha decidido interpretar outro papel: o de mulher-furacão. Um vestido curto, preto, com um decote cheio de transparências e rendas, deixavam a vista a ausência de soutien e o busto bronzeado em contraste com a renda preta. As pernas, bem torneadas, ficavam espectaculares com o sapato vermelho escuro. Ele resolveu engolir em seco, tamanha a estupefacção com o ar sedutor da sua jóia rara. Ela sentou-se, de frente para ele, e sussurrou-lhe um "amo-te". Foi a partir deste momento que as promessas, o respeito pela honra e o cavalheirismo dele resolveram esfumar-se. O pulso dela foi bem agarrado pela mão dele e, apressadamente, o casal abandonou o restaurante, sem jantar. Mas para eles isso não importava, porque a refeição principal iria ser servida no meio dos lençóis, para a perdição de ambos.

9 comentários

Comentar post