Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."


Porque não consigo deixar o passado no lugar dele? Tenho tantos aspectos da minha vida dos quais tenho tantas saudades. Amanhã fazia anos a minha avó paterna e faz 8 anos desde que o meu avó paterno partiu deste Mundo. Eu tenho tantas saudades de o ver sentado na sua poltrona, de jogar dominó com ele, de o ouvir a tocar harmónica, dos rebuçados que ele me comprava no café. Dos abraços, do sorriso dele quando eu o visitava no hospital e quando me dizia que tudo ia correr bem. Ele continua a ser um dos motivos pelos quais eu luto por uma vida melhor, sei que ele está a olhar por mim...e custa saber que ele vê os meus erros. O meu orgulho e teimosia em querer fazer tudo sozinha, o medo de encarar que falho, a constante busca pela perfeição, mesmo sabendo que ela não existe. Quero deixar de ser assim, tão solitária, mas não sei se consigo. Eu gostava de quebrar o gelo com o qual congelei o meu coração. Mostrar o que realmente sinto, estimar quem me ama, abraçar quem precisa de consolo. Tenho tido dificuldades em lidar com o presente, cheio de recordações penosas. Não quero que me toquem, porque eu desabo em lágrimas. Tenho evitado qualquer tipo de contacto físico, o olhar para o espelho corta-me a alma. Malditos demónios que eu já conheço à tanto tempo, por favor, deixem-me em paz. Eu quero puder dizer (e acreditar) que gosto de quem sou, fisicamente e psicologicamente, quero conseguir lutar sem estar algemada ao passado. Quero sentir-me normal, como todas as pessoas. Estou farta de me afastar e fugir...eu não mereço ser realmente feliz? Eu, logo eu, que sonho com uma família e alguém a quem posso realmente chamar de meu? Se for para ser assim, prefiro viver o passado, os momentos felizes e matar saudades daqueles que partiram e me deixaram com o coração partido. Só quero conseguir encontrar o caminho, a estrada do meu destino e seguir em frente, mesmo sem saber para onde vou. Estar nesta escuridão, perdida na floresta, não é satisfatório, de todo.

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2