Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Não queria queixar-me de 2013 passado dezasseis dias do mesmo ter começado. Até porque tenho andado bem, apesar de andar a passar os dias a estudar para os exames que vou ter para a semana. Sinto-me motivada para estudar, para acabar o curso e para provar a todos que eu sou capaz de alcançar o que quero, basta esforçar-me para o tal. A minha família está bem e de boa saúde, os meus amigos estão presentes e os problemas ficaram em 2012, porque eu encontrei-me e sinto-me bem mais leve por ter resolvido os meus problemas. Mas sinto que me falta algo. Eu sempre fui uma jovem de aventuras e que morria de amores por adrenalina, sendo que adorava meter-me num bom sarilho e escapar ilesa! Sempre tive uma componente rebelde e gostava de desafiar leis (coitados dos meus pais). Mas agora, com vinte anos, começo a sentir-me uma adulta de quarenta ou cinquenta, que adora passar o dia no sofá sem fazer nenhum. Não sei se foi por ter amadurecido ou algo parecido, mas sinto-me meia cansada desta rotina que criei desde que entrei na faculdade: estudo, aulas, trabalho, uma saída ou outra e passar os dias livres a ver televisão. Nunca tive tanto desejo de quebrar esta monotonia e quero fazê-lo este ano! Quero-me sentir jovem, não quero acreditar que a década dos vinte é assim tão aborrecida. Sinto nostalgia da eu que pintava o cabelo nas cores mais loucas, que alinhava em todo o tipo de viagens, que fazia desporto frequentemente, que...VIVIA! Quero ter algo interessante para contar, um dia mais tarde, aos meus filhos e netos, porque se lhes contar esta versão aborrecida, eles ainda se fartam de mim. Quero sentir, novamente, o sangue a correr fortemente nas veias e provar que a idade é apenas um número, porque o que importa é o estado de espírito!

20 comentários

Comentar post

Pág. 1/2