Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Ela nunca pensou que tinha tanta força dentro de si, porque nunca optou por lutar por si, mas sim pelos que estima. Todos eram colocados à frente das suas vontades: o familiar que andava em baixo ou o amigo que andava a sofrer de amores; ela era uma espécie de enfermeira sentimental, que procurava sarar as feridas dos que amava. Até há uns meses atrás ela era feliz assim, porque sentia-se bem em auxiliar os outros. Sorria com os sorrisos dos outros. Mas isto foi ruindo, aos poucos e poucos. Ela começou a desaparecer, por esquecer de viver a sua própria existência. Tornou-se uma carapaça dura e fria, sem sentimentos e emoções. Desligou-se do mundo e passou a ignorar os conselhos dos amigos que tanto estima. Felizmente, ela hoje pode dar muitas graças aos amigos, que lhe partiram a carapaça e fizeram vê-la que ela estava a tornar-se igual à pessoa gelada que ela não idolatra e que manifestaram que queriam a antiga ela de volta. Foi um choque brutal aperceber-se que estava a fechar-se nas sombras. Em meses, foram as primeiras lágrimas que ela soltou e foi a partir delas que ela começou a olhar para si mesma. Resolveu fazer um retiro emocional, sozinha, deixando as amigas aos cuidados daquele que achou mais adequado. Acordar de manhã, tomar o pequeno-almoço e sentir o sol a bater-lhe na pele. Perceber que o principal problema derivava da aparente perca de sonhos, principalmente o de ser mãe. Perceber porque tinha medo do abandono e da solidão. Despedir-se, finalmente, dos fantasmas do passado foi crucial para um crescimento intelectual e emocional. Quando voltou, percebeu que não precisava de se afastar das pessoas de que gosta, porque são elas que sabem quem ela é realmente. Foi bom ter o abraço daquela pessoa que ela mais ama. Foi delicioso ligar aos amigos e vê-los em pulgas por reconhecerem que a antiga ela estava de volta. Agora é lutar para ser feliz e nunca se esquecer que nenhum sonho é impossível, porque se este pode ser imaginado, então pode e deve ser realizado. Ela sou eu.

8 comentários

Comentar post