Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

Endless Words

"Escrever é como abrir gaiolas: coloco as palavras em ordem, descubro a senha do cadeado, liberto os pássaros. E os sentimentos."

 

  • Facto verídico: não morri. Apenas estou muito, muito cansada.

 

Confesso que tive uma semana de recepção ao caloiro bastante intensa, mas divertida, em certos pontos. Aprendi que um caloiro é uma "besta": nada sabe fazer, segundo os doutores e os veteranos. Eles ensinaram-nos os cânticos da faculdade, os "frizes" (que consiste em estar numa posição de cadeira, em pé, com os braços esticados) e os "quadorfs" (mãos debaixos dos joelhos e cabeça para baixo) e os "tridorfs" (mãos debaixo dos joelhos e testa no chão) e diversas regras básicas, como a hierarquia dos alunos. Andamos pelo Porto, desde o Cais de Gaia (fizemos um passeio de barco), pela Rua Santa Catarina, Aliados, Casa da Musica, Parque da Cidade a manifestar o nosso amor pela universidade. Fizemos um piquenique, atiramos balões de água uns aos outros...enfim, foi uma semana para esgotar todas as minhas energias, mas é algo inesquecível e que aconselho a todos os leitores a participar. Confesso que ao princípio a praxe é super assustadora e eles fazem mesmo troça de nós, mas eu apercebi-me ao longo da semana que eles sabem ser atenciosos nos momentos certos e que também são donos de fraquezas assim como nós.

 

Agora, digo adeus às brincadeiras de caloiro e, a partir de segunda-feira, digo olá à História e Epistemologia da Psicologia T, às duas horas.

 

p.s.: meu deus, acabei de ver agora o meu email da faculdade. Tenho tanta coisa para ler, é assustador.

65 comentários

Comentar post

Pág. 1/7